quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Como não se perder em um mar de conteúdo


Pra você que, assim como eu, fica alucinado com tanto conteúdo para consumir, tanto vídeo para ver, tanto livro para ler, e não sabe por onde começar, eu vou dar uma dica, um critério: dê prioridade aos grandes nomes. Grandes autores, grandes clássicos, grandes homens e mulheres.

Vou dar um exemplo: no marketing digital se fala muito em marketing de conteúdo, em produzir conteúdo. Existe uma frase que sintetiza isso, que é “content is king”. Conteúdo é rei. Pois sabe quem disse isso? Bill Gates. E sabe QUANDO ele disse isso? 1996. MIL NOVECENTOS E NOVENTA E SEIS! “Séculos” antes da explosão dos blogs, das redes sociais, dos smartphones... 

O Bill Gates poderia estar errado? Sim, claro que poderia, como esteve em outros assuntos. Mas ele era um capitão da indústria, alguém que conhecia intimamente os meandros do ofício, alguém que, aliás, contribuía para moldar o presente e dirigir o futuro do ramo da informática. Logo, a probabilidade de ele estar certo era grande.

De aproximadamente dez anos para cá, trocentos mil marqueteiros digitais repetiram o mantra à exaustão: conteúdo é rei, conteúdo é rei, conteúdo é rei. Quem tivesse prestado atenção ao que o velho Bill dissera muito antes, já teria enxergado a curva na estrada.

Isso vale para quase tudo o que você quiser estudar. Procure os grandes nomes, procure os clássicos, rastreie as fontes. “Ah, mas tem gente boa recente também”. Sim, tem. E se for boa MESMO, vai se tornar grande e/ou clássico, mais cedo ou mais tarde. Você não perde nada por esperar um pouco, pelo contrário. Vai consumir apenas o melhor, já filtrado, já testado. 

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Nova política de suporte da Impactamídia

 


Prezado cliente da Impactamídia! 

Por motivos de segurança e visando o seu melhor atendimento, informamos que serão atendidas apenas as solicitações de suporte efetuadas pelo CONTRATANTE ou outra pessoa prévia e expressamente autorizada por este. 

Cientes de sua compreensão, agradecemos de antemão.

Atenciosamente, 

Equipe Impactamídia


segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Restaurar as coisas? Apenas em Cristo.

 


Essa ideia de restaurar a sociedade, ou uma parte ou aspecto dela, a um estado anterior, (supostamente) melhor, é uma loucura, não funciona. É uma ideia que parece estar no espírito humano desde tempos imemoriais e nos remete ao Paraíso perdido, mas hoje em dia ela é muito usada com uma conotação política, e assim gera muita frustação, quando não coisa pior.

Não consigo pensar em nenhuma ocasião de onde e quando isso foi feito com sucesso. O Império Romano, ou o Antigo Egito, por exemplo, jamais voltaram ao seu esplendor do auge. E nenhum império ou nação. Esse ciclo "ascensão, apogeu e queda" parece uma característica inexorável de todos os empreendimentos humanos. O que é bom é conservado e transmitido adiante, mas no lugar da antiga estrutura, algo novo surge. Às vezes melhor, às vezes pior, mas sempre diferente.

Nem o Jardim do Éden foi restaurado com a Redenção, nem este mundo será restaurado nesse sentido de retorno ao passado, porque haverá um novo céu e uma nova Terra.

domingo, 20 de setembro de 2020

O invisível é essencial aos olhos


Não só o essencial é invisível aos olhos, como também o invisível é essencial aos olhos. Ver menos, contemplar mais. Descansar a vista, diminuir o estímulo. Um pouco de aridez. Nisto, o pampa gaúcho, com suas vastas pradarias, "repletas de nada", faz muito bem.

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Cansei de ver bichos na tv


Nos anos 90, logo que entrou a tv por assinatura no Brasil, era muito legal assistir documentários sobre animais e a natureza, em canais como Discovery e National Geographic.

Hoje, com documentários mais bem produzidos, imagens ainda mais impressionantes, capturas de cena ainda mais próximas, televisores de tela plana e resoluções cada vez mais nítidas, eu não tenho saco para assistir nenhum.

Será que era apenas o sabor de novidade? Ou a vida adulta me tornou insensível para esse tipo de conteúdo? Mais alguém experimenta algo semelhante?


 

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Elogio do livro como ferramenta de organização e sistematização do conhecimento

 


Praticamente todo o conteúdo que está em livros também está em artigos e vídeos na internet, e de forma gratuita. Porém, muitas vezes, de maneira anárquica, sem organização, sistematização. 

O livro tem uma estrutura, uma espinha dorsal, começo, meio e fim, e isso ajuda muito a estudar e entender o assunto em questão.

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

"You can't handle the truth!"

 

Poucas frases de filmes definiram tanto uma época quanto "You can't handle the truth" (algo como "Você não aguenta a verdade"), proferida pelo Coronel Nathan Jessup, personagem interpretado por Jack Nicholson no filme "Questão de Honra". Ela até foi eleita como a 29ª melhor fala do cinema, pelo American Filme Institute.

No cenário caótico do debate público contemporâneo, conservadores a aplicarão a progressistas e estes àqueles. Os ateus aos crentes e vice-versa. Os relativistas dirão que a verdade não existe, ainda que perguntem por ela, tal Pilatos. Como já dissera Bob Dylan, "of war and peace, the truth just twists".

A Verdade Se encarnou e tivemos que humilhá-lA, maltratá-lA e por fim matá-lA, porque ninguém A suporta a não ser com a ajuda dela mesma.

Como não se perder em um mar de conteúdo

Pra você que, assim como eu, fica alucinado com tanto conteúdo para consumir, tanto vídeo para ver, tanto livro para ler, e não sabe por ond...