sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Por que gostamos ou desgostamos de qualquer coisa?

Por que gostamos ou desgostamos de qualquer coisa? Quais são os nossos critérios para dizer se é algo é bom ou ruim?

Consigo pensar em dois: o conjunto composto pelas nossas paixões, caprichos pessoais e temperamento; e as nossas crenças.

As crenças podem ser inconscientes, isto é, quando nem sabemos direito que acreditamos e porque acreditamos em algo. Nesses casos, costumamos pensar que as coisas são mesmo do jeito que nos aparentam, e não que estamos na verdade sujeitos a essa lente cognitiva que como que pré-formata a realidade.

Se somos movidos apenas pelo conjunto das nossas paixões, caprichos, temperamento e crenças inconscientes, não somos plenamente livres.

Para nos tornarmos cada vez mais livres, é preciso então refletir sobre as nossas próprias crenças, trazê-las à superfície do nosso espírito, tomar consciência delas, para então reavaliar se devemos mantê-las ou abandoná-las.

Fazendo esse processo, mesmo que se escolha acreditar em algo errado (mas que não sabemos ainda que é errado), já nos tornamos mais livres do que antes, porque assumimos consciente e deliberadamente.

Podemos e devemos constantemente reavaliar as nossas crenças, substituindo as erradas pelas corretas, e nesse processo nos tornando cada vez mais livres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando o cliente não gosta do seu trabalho

Já diz o ditado, “nem Jesus Cristo agradou a todos”.  Nem sempre conseguimos agradar o cliente. Na Impactamídia , em algumas ocasiões (raras...