quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Como não se perder em um mar de conteúdo


Pra você que, assim como eu, fica alucinado com tanto conteúdo para consumir, tanto vídeo para ver, tanto livro para ler, e não sabe por onde começar, eu vou dar uma dica, um critério: dê prioridade aos grandes nomes. Grandes autores, grandes clássicos, grandes homens e mulheres.

Vou dar um exemplo: no marketing digital se fala muito em marketing de conteúdo, em produzir conteúdo. Existe uma frase que sintetiza isso, que é “content is king”. Conteúdo é rei. Pois sabe quem disse isso? Bill Gates. E sabe QUANDO ele disse isso? 1996. MIL NOVECENTOS E NOVENTA E SEIS! “Séculos” antes da explosão dos blogs, das redes sociais, dos smartphones... 

O Bill Gates poderia estar errado? Sim, claro que poderia, como esteve em outros assuntos. Mas ele era um capitão da indústria, alguém que conhecia intimamente os meandros do ofício, alguém que, aliás, contribuía para moldar o presente e dirigir o futuro do ramo da informática. Logo, a probabilidade de ele estar certo era grande.

De aproximadamente dez anos para cá, trocentos mil marqueteiros digitais repetiram o mantra à exaustão: conteúdo é rei, conteúdo é rei, conteúdo é rei. Quem tivesse prestado atenção ao que o velho Bill dissera muito antes, já teria enxergado a curva na estrada.

Isso vale para quase tudo o que você quiser estudar. Procure os grandes nomes, procure os clássicos, rastreie as fontes. “Ah, mas tem gente boa recente também”. Sim, tem. E se for boa MESMO, vai se tornar grande e/ou clássico, mais cedo ou mais tarde. Você não perde nada por esperar um pouco, pelo contrário. Vai consumir apenas o melhor, já filtrado, já testado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O poder de um grande pregador

  Umas das marcas de um grande pregador, escritor, poeta, filósofo, enfim, homem de letras, homem de gênio, é a sua capacidade de infundir n...