quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Não dependa do Brasil













Nesses meus 36, quase 37 anos de vida como brasileiro nativo, eu já aprendi uma coisa: não dá para esperar muito do Brasil. Mas eu não falo isso no mesmo sentido derrotista que alguns colocam. 

Eu não quero com isso dizer que não se deva amar a pátria, ou que se deva adotar uma postura cínica, amarga, acomodada, jogar a toalha, desistir de tentar melhorar as coisas; não, não é nada disso. 

É só que não se deve esperar muitos avanços e progressos da política, das instituições, do estado geral das coisas...

Por exemplo, não espere melhoras na saúde pública, procure contratar um plano de saúde. Não espere melhoras na segurança pública, seja cauteloso e invista em recursos de segurança privados para sua casa, seu carro etc. Faça de tudo para não se meter em tretas, porque a justiça brasileira é extremamente morosa e um tanto arbitrária. Não dependa da previdência pública para a sua aposentadoria e fonte de renda na velhice, economize, aprenda a investir por conta própria. Em suma, faça o possível para não depender do Estado, do governo, do poder público, das instituições.

Eu sei que muita gente não tem essas opções, essas possibilidades. Mas não é o nosso caso, o meu e o seu, que está lendo isso. Agindo assim, até ajudamos a desonerar a máquina pública para que ela possa melhor atender os mais carentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O poder de um grande pregador

  Umas das marcas de um grande pregador, escritor, poeta, filósofo, enfim, homem de letras, homem de gênio, é a sua capacidade de infundir n...