segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Restaurar as coisas? Apenas em Cristo.

 


Essa ideia de restaurar a sociedade, ou uma parte ou aspecto dela, a um estado anterior, (supostamente) melhor, é uma loucura, não funciona. É uma ideia que parece estar no espírito humano desde tempos imemoriais e nos remete ao Paraíso perdido, mas hoje em dia ela é muito usada com uma conotação política, e assim gera muita frustação, quando não coisa pior.

Não consigo pensar em nenhuma ocasião de onde e quando isso foi feito com sucesso. O Império Romano, ou o Antigo Egito, por exemplo, jamais voltaram ao seu esplendor do auge. E nenhum império ou nação. Esse ciclo "ascensão, apogeu e queda" parece uma característica inexorável de todos os empreendimentos humanos. O que é bom é conservado e transmitido adiante, mas no lugar da antiga estrutura, algo novo surge. Às vezes melhor, às vezes pior, mas sempre diferente.

Nem o Jardim do Éden foi restaurado com a Redenção, nem este mundo será restaurado nesse sentido de retorno ao passado, porque haverá um novo céu e uma nova Terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os palavrões da fé

Vivemos numa época em que, numa roda de conversa, falar palavras como "Deus", "Céu", "Inferno", "pecado&q...