sexta-feira, 23 de outubro de 2020

O poder de um grande pregador

 


Umas das marcas de um grande pregador, escritor, poeta, filósofo, enfim, homem de letras, homem de gênio, é a sua capacidade de infundir novas luzes sobre um fato já trivial.

Eu estava ouvindo a meditação de um sacerdote – não vou citar o nome, pois não sei se me autoriza – que falava sobre a presença de Jesus Eucarístico nos sacrários de nossas igrejas, espalhadas pelas ruas das cidades. 

Se há um fato que não deveria passar batido – por tudo o que significa e mais - é esse!, mas acontece, infelizmente, e comentários como o do pregador ajudam a acender ou reacender em nós o afeto pela Eucaristia.

Perguntava ele: por que Jesus quis permanecer conosco 24 horas por dia? Por que não apenas de dia? Por que também à noite, quando as igrejas fecham, e Ele Se encontra sozinho, no escuro, sem a nossa companhia?

Eu nunca havia me dado conta disso, e no exercício de imaginar a cena, meu coração já foi tomado pela ternura, uma certa “peninha” de Jesus, lá, sozinho, no escuro...moções de infância espiritual.

O poder da palavra, o poder de um grande pregador.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O trunfo do pensamento moderno

O trunfo do pensamento moderno, científico, cartesiano, é ao mesmo tempo, a sua desgraça. Bênção e maldição. Separar tudo em partes dá acess...