terça-feira, 17 de novembro de 2020

A experiência de Deus

Os santos tiveram em vida uma experiência de Deus que eu ainda não tive. Isso tornava o apostolado deles muito fecundo. Eles falavam do que viviam, e isso confere muita força às palavras. As pessoas que conviviam com eles sempre descrevem algo assim, que quase podiam “tocar” a santidade, que percebiam Deus de maneira muito presente naquele homem ou mulher.

A minha experiência de Deus é ínfima. É 90% crença, abstração, 10% experiência real. Quase tudo o que eu falo é “repeteco” da doutrina da Igreja. Por isso meu apostolado é sofrido, pouco fecundo. Claro que isso também está dentro do plano de Deus. Sou um instrumento em processo de aperfeiçoamento, uma pedra bruta que está sendo lapidada para se tornar uma joia. Mas – ironicamente – essa mesma descrição que eu acabei de fazer não é minha, eu a ouvi em outro lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O trunfo do pensamento moderno

O trunfo do pensamento moderno, científico, cartesiano, é ao mesmo tempo, a sua desgraça. Bênção e maldição. Separar tudo em partes dá acess...